JACK BRUCE – SONGS FOR A TAILOR (1969)

    Cantor de timbre vocal marcante, compositor de capacidade única e, acima de tudo, um dos maiores baixistas surgidos na face da Terra. Se você pensou em Jack Bruce, acertou em cheio. Um músico carregado de atributos que virou lenda não só pela sua passagem por combos sensacionais como Graham Bond Organization, Manfred Mann, John Mayall & The Bluesbreakers e West, Bruce & Laing, entre outros, mas evidentemente por ser parte do maior power trio inglês da história do rock: o Cream.

.

    Ao longo de seus 65 anos de idade e com uma carreira solo bem desenvolvida, Jack Bruce ostenta uma discografia com pelo menos duas dezenas de álbuns individuais. Alguns deles são obrigatórios, como é o caso deste Songs For a Tailor, sua estréia solo. Lançado pela Polydor Records, em 1969, é um disco que pode causar certa estranheza nas primeiras audições, muito por conta da sonoridade dissonante e da alternância de compassos de algumas canções, mas que com o tempo vai sendo melhor absorvido.

.

    Bruce se sente em casa, extraindo timbres e linhas melódicas brilhantes de seu baixo elétrico Gibson EB3. Sua voz distinta passeia por arranjos sinuosos, devidamente incrementados com sua destreza ao piano, órgão, violões e violoncelos. Nas composições, a parceria dos tempos de Cream permanece intacta, com o virtuoso baixista elaborando os arranjos e o poeta e músico Pete Brown escrevendo as letras.

 .

    Produzido pelo infalível Felix Pappalardi (que já havia trabalhado com o Cream no clássico Disraeli Gears, em 1967), mostra a busca incessante de Bruce por novas sonoridades. Para tanto, foram convocados o baterista Jon Hiseman e o saxofonista Dick Heckstall-Smith (membros da banda britânica de jazz-rock Colosseum), além do guitarrista Chris Spedding. Entre outras participações, a mais curiosa é a de L’Angelo Misterioso (alguém já ouviu falar em George Harrison?) na faixa de abertura, a intensa “Never Tell Your Mother She’s Out of Tune”. Nesta música e em outras duas (“The Ministry of Bag” e “Boston Ball Game, 1967”), os arranjos ganham corpo com as presenças de Harry Beckett e Henry Lather nos trompetes e Art Themen no saxofone.

.

 Jack Bruce on stage / maio de 2008  

 .

    Tudo funciona muito bem em “Tickets To Water Falls”: vocal, linhas de baixo, fraseados de piano e guitarra fascinantes, criando uma maravilhosa concepção harmônica. Outro ponto alto é “To Isengard”: começa calma, com vocal suave de Bruce e guitarras acústicas. Na metade da música, o vocal torna-se rude, dando início a um duelo entre o baixo de Bruce e a guitarra de Spedding. Com pouco mais de cinco minutos, é a faixa mais longa do disco e traz Pappalardi dando uma forcinha nos vocais e na guitarra rítmica.

.

    Maravilhosa também é a faixa “Rope Ladder To The Moon”, onde o ambiente sonoro é construído em torno de uma instrumentação acústica, com Bruce tocando quase todos instrumentos (vocal, violoncelo, guitarra, piano e baixo), assessorado por John Marshall na bateria e Felix Pappalardi na percussão e nos vocais de apoio. Mas o destaque vai mesmo para a clássica “Theme For An Imaginary Western”, regravada pelo Mountain e pelo Colosseum no ano seguinte e aqui conduzida com toque de classe pelo trio Bruce/Spedding/Hiseman. Sem comentários… 

 .

    Em 2003, a Polydor soltou uma versão remasterizada de Songs For A Tailor, contendo 4 faixas bônus: duas versões alternativas para “Ministry of Bag” e mais duas para as energéticas “Weird of Hermiston” e “The Clearout”. Vale cada centavo investido.

Faixas: 01. Never Tell Your Mother She’s Out of Tune / 02. Theme for an Imaginary Western / 03. Tickets to WaterFalls / 04. Weird of Hermiston / 05. Rope Ladder to the Moon / 06. The Ministry of Bag / 07. He the Richmond / 08. BostonBall Game, 1967 / 09. To Isengard / 10. The Clearout

SINISTER VINYL COLLECTION: JACK BRUCE – SONGS FOR A TAILOR (1969)

JACK BRUCE – NEVER TELL YOUR MOTHER SHE’S OUT OF TUNE

JACK BRUCE – THEME FOR AN IMAGINARY WESTERN

MOUNTAIN – THEME FOR AN IMAGINARY WESTERN

COLOSSEUM – THEME FOR AN IMAGINARY WESTERN

JACK BRUCE – WEIRD OF HERMISTON

JACK BRUCE – ROPE LADDER TO THE MOON

COLOSSEUM – ROPE LADDER TO THE MOON

JACK BRUCE – MINISTRY OF BAG

JACK BRUCE – THE CLEAROUT

4 respostas a JACK BRUCE – SONGS FOR A TAILOR (1969)

  1. Caramba Marco, é sempre uma alegria entrar no seu blog e se deparar com essas verdadeiras maravilhas musicais! E os textos, assim como os vídeos, são matadores!
    Um abraço!

  2. sinistersaladmusikal diz:

    Valeu grande Lucas! Tu manja!
    Grande abraço!

  3. Bob Nelson diz:

    Thank you for sharing this, amigo!

  4. sinistersaladmusikal diz:

    Que é isso, Bob. Estamos aí justamente para compartilhar os bons sons. Abraço.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: