CANNED HEAT – CANNED HEAT (1967)

    A estréia discográfica do Canned Heat veio em grande estilo, um mês após a sua aparição no Monterey Pop Festival. Um evento realizado entre os dias 16 e 18 de junho de 1967, recheado de atrações sensacionais: Big Brother and the Holding Company, Country Joe and the Fish, Al Kooper, Animals, Electric Flag, Quicksilver Messenger Service, Steve Miller Band, Moby Grape, Byrds, Jefferson Airplane, Booker T. & the M.G.s, Otis Redding, Ravi Shankar, Blues Project, Buffalo Springfield, The Who, Jimi Hendrix Experience, Grateful Dead, Butterfield Blues Band, The Mamas & the Papas… Fico imaginando a alegria que seria assistir essa turma no auge de suas carreiras. Sorte de quem estava lá!   

 

    Buenas, devaneios à parte, o auto-intitulado debut do Canned Heat é um registro fabuloso e apresenta uma das principais características da trupe: o resgate cultural e histórico do blues, através de inovadoras versões para velhos clássicos do estilo. Sob o comando do frontman Bob Hite (vocal, gaita) e do polivalente Alan Wilson (guitarra, piano, harmônica, vocais), a banda transita na essência do blues rural do Delta do Mississippi e dispara até o blues urbano de Chicago e Detroit, mandando ver no cruzamento explosivo do blues-rock com el boogie terrible.

 

    Completam o quinteto o guitarrista Henry Vestine (ex-membro do Mothers of Invention e que fora despedido por Zappa por causa do uso contínuo de drogas), o baixista Larry Taylor (ex-Moondogs e que já havia sido músico de apoio para Jerry Lee Lewis, Chuck Berry e os Monkees) e o baterista Frank Cook (que vinha de experiências jazzísticas, tocando ao lado de nomes como o baixista Charlie Haden e o trompetista Chet Baker).  

 

Alan Wilson e Bob Hite, no comando das ações do Canned Heat 

 

    Destrinchando as raízes do blues, o álbum traz versões envenenadas para os clássicos “Rollin’ And Tumblin” (Muddy Waters), “Dust My Broom” (Robert Johnson/Elmore James), “Evil Is Going On” (Willie Dixon) e ‘Help Me” (Sonny Boy Williamson ll), entre outros temas tradicionais. A dupla de guitarristas Henry Vestine e Alan Wilson transborda perfeita harmonia, combinando slide e solos distorcidos embriagantes. Wilson aproveita a deixa para demonstrar todo o seu domínio na harmônica, provando porque se tornou ao longo da história, um dos grandes nomes do instrumento. Escutem “Goin’ Down Slow” (St. Louis Jimmy Oden) e comprovem. Quem também está tinindo é Bob Hite, que toma de assalto o ambiente sonoro com sua voz rasgada e cheia de energia, cantando a maioria das canções.

 

    Outras faixas de destaque são as famigeradas “Catfish Blues” (Robert Petway) e “Bullfrog Blues” (William Harris) em adaptações contendo improvisos e inovações rítmicas bem interessantes, o que valorizou o trabalho e fez com que o álbum fosse recebido de braços abertos até mesmo pelos mais conservadores e puristas do blues da época. Tenho o vinil original inglês, mono, lançado pelo selo Liberty. Não vendo, não troco e não empresto. É de estimação!

 

    Detalhe: a polêmica capa mostra o quinteto ao redor de uma mesa, consumindo um coquetel a base de Sterno. Como já foi dito, Sterno é um combustível em gel feito de álcool desnaturado. Sua composição química envolve basicamente etanol, metanol, água e um óxido anfotérico gelificante. Uma solução que se for dissolvida em água, torna-se uma bebida altamente perigosa. Consumida pela população mais pobre, esteve associada a várias mortes na América em décadas passadas, a maioria por causa do envenenamento por metanol. Depois dessa, vou tomar uma dose de Jack Daniel’s e já volto…

 

Faixas: 01. Rollin’ And Tumblin’ / 02. Bullfrog Blues / 03. Evil is Going On / 04. Goin’ Down Slow / 05. Catfish Blues / 06. Dust My Broom / 07. Help Me / 08. Big Road Blues / 09. The Story Of My Life / 10. The Road Song / 11. Rich Woman

 

CANNED HEAT – ROLLIN’ AND TUMBLIN’

 

 

RORY GALLAGHER – BULLFROG BLUES

 

CANNED HEAT – EVIL IS GOING ON

LIGHTNIN’ HOPKINS – GOIN’ DOWN SLOW

CANNED HEAT – CATFISH BLUES

HOWLIN’ WOLF – DUST MY BROOM

CANNED HEAT – HELP ME

CANNED HEAT – BIG ROAD BLUES

CANNED HEAT – THE STORY OF MY LIFE

CANNED HEAT – THE ROAD SONG

CANNED HEAT – RICH WOMAN

6 Responses to CANNED HEAT – CANNED HEAT (1967)

  1. Anderson Medeiros diz:

    Blues da mais alta categoria.Vou baixar os outros. 🙂

  2. sinistersaladmusikal diz:

    Valeu, Anderson! Se os links não estiverem funcionando, avisa! Abraço

  3. Lucas Barros diz:

    Ficou muito boa a matéria, tem umas tiradas engraçadas, meus parabéns.

  4. sinistersaladmusikal diz:

    Agradeço a visita, Lucas.
    Valeu!

  5. Jonas diz:

    Grande banda. Excelente postagem.

  6. sinistersaladmusikal diz:

    Canned Heat rules!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: