SINISTER VINYL COLLECTION: BLUE CHEER – VINCEBUS ERUPTUM (1968)

Artista: Blue Cheer 

País: United States 

Álbum: Vincebus Eruptum

Ano de gravação / lançamento: 1967 / 1968

Músicos: Dickie Peterson (baixo e vocal), Leigh Stephens (guitarra) e Paul Whaley (bateria).

Produção: Abe “Voco” Kesh

Capa: John Van Hamersveld (foto) e Allen “Gut” Turk (direção de arte)

Gênero: Rock / Blues Rock / Hard Rock / Acid Rock / Psicodelia

Selo: Akarma / AK 011 (vinil 180 gramas)

Prensagem: Italy 

Lado A: 01. Summertime Blues / 02. Rock Me Baby / 03. Doctor Please

Lado B: 01. Out of Focus / 02. Parchment Farm / 03. Second Time Around / 04. All Night Long (bonus track)

BLUE CHEER – SUMMERTIME BLUES

BLUE CHEER – SUMMERTIME BLUES (1968)

BLUE CHEER – ROCK ME BABY

BLUE CHEER – DOCTOR PLEASE

BLUE CHEER – OUT OF FOCUS

BLUE CHEER – PARCHMENT FARM

BLUE CHEER – SECOND TIME AROUND

2 respostas a SINISTER VINYL COLLECTION: BLUE CHEER – VINCEBUS ERUPTUM (1968)

  1. Marcelo Covoes diz:

    Taí um exemplo de rock PESADO , só com maiúsculas ( como o do Mountain , só para ilustrar tal classificação ) . PESO , não só volume tratado em estúdio e com a utilização de todos os recursos técnicos disponíveis , como algumas bandas que andam por aí . Um verdadeiro ataque pra estômagos mais sensíveis . Engraçado que eu sempre achei o Blue Cheer , apesar do tratamento sonoro cru e direto , uma banda subestimada no seu tempo . Isso como várias outras , que de um modo ou outro acabaram abafadas pelo estrondoso sucesso de tantos outros nomes fantásticos , e que além disso foram se perdendo no caminho por motivos diversos . O Moby Grape é um excelente exemplo pra demonstrar essa tese . Mas aí é assunto pra outro dia , porque esse tema rende . Um abraço bolha rsrs .

  2. sinistersaladmusikal diz:

    Pode crer, Marcelo!
    Mountain e Blue Cheer… duas bandas de peso que eu curto bastante. O Blue Cheer é daquelas bandas que foram malhadas a exaustão pela crítica da época, que os achavam tecnicamente incompetentes se comparados a outros trios como o Cream e o Jimi Hendrix Experience, mas daí já é covardia. Eu acho que é justamente na brutalidade sônica e na crueza dos três acordes que estavam os maiores méritos do grupo. Mas é claro que o som ensandecido da trupe não vai agradar a todos os ouvidos. Tenho outros discos do Blue Cheer (a capa do Outside Inside é sensacional) e pode apostar que qualquer hora vou postá-los por aqui.
    Valeu, amigo bolha!
    Abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: