SINISTER VINYL COLLECTION: SOFT MACHINE – VOLUME TWO (1969)

Artista: Soft Machine

País: United Kingdom 

Álbum: Volume Two

Ano de gravação / lançamento: 1969

Músicos: Robert Wyatt (bateria e vocal), Mike Ratledge (órgão, piano, cravo e flauta), Hugh Hopper (baixo, guitarra acústica e sax alto) e Brian Hopper (sax soprano e sax tenor).

Produção: Soft Machine

Capa: Byron Goto e Henry Epstein (design) + Eric Goto (foto)

Gênero: Rock / Rock Psicodélico / Rock Progressivo / Rock Experimental / Jazz-Rock / Canterbury Scene

Selo: Probe, ABC Records / CPLP 4505

Prensagem: United States 

Lado A (Rivmic Melodies): 01. Pataphysical Introduction – Pt. I / 02. A Concise British Alphabet – Pt. I / 03. Hibou, Anemone and Bear / 04. A Concise British Alphabet – Pt. II / 05. Hulloder / 06. Dada Was Here / 07. Thank You Pierrot Lunaire / 08. Have You Ever Bean Green? / 09. Pataphysical Introduction – Pt. II / 10. Out of Tunes

Lado B (Esther’s Nose Job): 01. As Long as He Lies Perfectly Still / 02. Dedicated to You But You Weren’t Listening / 03. Fire Engine Passing with Bells Clanging / 04. Pig / 05. Orange Skin Food / 06. A Door Opens and Closes / 07. 10.30 Returns to the Bedroom

SOFT MACHINE – VOLUME TWO (1969) [álbum completo]

SOFT MACHINE – A CONCISE BRITISH ALPHABET – PART 1

SOFT MACHINE – HIBOU, ANEMONE AND BEAR

SOFT MACHINE – A CONCISE BRITISH ALPHABET – PART 2

SOFT MACHINE – HULLODER

SOFT MACHINE – THANK YOU PIERROT LUNAIRE + HAVE YOU EVER BEAN GREEN?

SOFT MACHINE – AS LONG AS HE LIES PERFECTLY STILL

SOFT MACHINE – DEDICATED TO YOU BUT YOU WEREN’T LISTENING

SOFT MACHINE – PIG

SOFT MACHINE – A DOOR OPENS AND CLOSES

SOFT MACHINE – 10.30 RETURNS TO THE BEDROOM

2 respostas a SINISTER VINYL COLLECTION: SOFT MACHINE – VOLUME TWO (1969)

  1. hernani valoz diz:

    Grande Marco – olha ai – este é incrível – putz a musica “retorns to the bedroom” é otina – nobre a sua versão do “third” em cd é a dupla – se for tá mais que bem servido – ela é um desbunde – Rapaz olhei aquele desatino seu e a resposta é só uma = eu bebo água é no copinho descartável = GRANDES aquisições – eu não conheço esse da Banda Black que tal – esse pessoal do Black Keys tá todo mundo comentando mas eu não tenho nada – o do Sabbath eu peguei o vinil mesmo e as musicas bônus pus no ipod e arquivei – tá valendo – os três discos que estou quase pondo a mão são = 1) Duke Ellington e Coltrane – 2) nuggets -artyfact original 65-69 – 3) Marcos Valle – Vento Sul – coisinhas agradaveis – ah, consegui GRAÇAS AO PAPA FRANCHICO realizar um sonho PAEBIRU – do Zé com Lula – que disco – no mais vamos aguardando novidades Pattologicas – grande abraço – Bom domingo dos pais – valeu
    obs – você ouviu o Rodriguez e o Daft o que achou –

  2. sinistersaladmusikal diz:

    Realmente, essa música é um deleite, mas na verdade gosto do disco todo, acho classe essa fase mais psicodélica do grupo. A minha versão do Third não é com o CD bônus, mas sim a primeira edição digital made Estados Unidos (Columbia / CGK 30339), se não me engano comprei na saudosa Nuvem 9, no começo dos anos 90. Mas quero mesmo o LP, de preferência a versão com capa dupla.
    Eita, você viu lá nos comentários do Chega de Saudade como a falência é algo que me persegue, não é mesmo? E olha que mesmo com o pé na lama, eu tenho comprado muitos LPs pela internet, inclusive consegui o Just a Poke do Sweet Smoke, que uma vez você me perguntou se eu tinha, lembra? Pois é, tá na mão!
    Ah, o Black Keys é bem bacana, é uma banda americana capitaneada pela dupla Dan Auerbach (guitarra e vocal) e Patrick Carney (bateria), que faz o chamado rock alternativo, algo entre o garage rock, o blues rock e o indie. Os caras estrearam em 2002 com o álbum The Big Come Up, e de lá pra cá, já gravaram 7 discos (sem contar os EPs), sendo o El Camino o último lançamento da trupe. Vou ver se ainda este mês publico algo deles aqui no Sinister. Acho que você vai gostar do som do grupo.
    Quanto ao 13 do Black Sabbath, pretendo um dia comprar o LP com as faixas bônus… por enquanto estou curtindo o CD que descolei na Cultura. Com relação aos discos do Sixto Rodriguez e do Daft Punk, estou com os CDs em alta rotatividade aqui no pedaço. Já tinha comentado sobre ambos em postagens anteriores. Aliás, pretendo ainda comprar o Random Access Memories em vinil assim que a poeira descer e o preço baixar. Sem dúvidas, um dos melhores discos de 2013. Também pretendo adquirir os LPs Cold Fact e Coming From Reality do Rodriguez, relançados recentemente e, no mínimo, sensacionais.
    Pôxa, eu tô sempre na fila para comprar o box do Nuggets, mas é tanta falência nesta vida que vou deixando sempre para depois e daí que acabo não comprando nunca. Mas ainda vou ter essa maravilha: http://www.amazon.com/Nuggets-Original-Artyfacts-Psychedelic-1965-1968/dp/B00000AFWZ/ref=cm_cmu_pg__header. Taí um ítem obrigatório numa coleção que se preze. E o Paêbirú eu só tenho em CD (acho que é pirata, inlusive, mas bonitinho, com o encarte e tudo, hehe). Esse eu vou ter que penhorar a casa, pois ainda sonho em ter o disco original. Já o Vento Sul do Marcos Valle eu tenho a edição original, e é um dos meus preferidos do mestre. É isso aí, Hernani. Castiga!
    Abração

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: