SINISTER VINYL COLLECTION: ALMENDRA – ALMENDRA (1969)

Abril 13, 2012

Artista: Almendra

País: Argentina 

Álbum: Almendra

Ano de gravação / lançamento: 1969

Músicos: Luis Alberto Spinetta (guitarras, harmônica e vocal), Edelmiro Molinari (guitarras, baixo, órgão e vocais), Emilio Del Guercio (baixo, flauta e vocais) e Rodolfo García (bateria, percussão, piano e vocais), além das participações de Santiago Giacobbe (órgão), Alicia Varadi (harpa), Bernardo Stalman (violino), Simon Zlotnik (viola), Carlos Pompeyo (flauta), José Bragato (violoncelo), Walter Cironi (fagote), Gustavo Bergalli (trompete), Alberto Misrahi (clarinete), MarioTenreyro (corno, um instrumento da família do oboé), Rodolfo Mederos (bandoneón), Tito Mariano (sinos) e Rodolfo Alchourron (guitarra), entre outros.

Composições: todas de Luis Alberto Spinetta, exceto as faixas A2 (Edelmiro Molinari) e B4 (Emilio Del Guercio)

Produção: sem créditos

Capa: Luis Alberto Spinetta

Gênero: Rock / Folk Rock / Blues Rock / Pop Rock / Psicodelia

Selo: RCA / LZ-1160

Prensagem: Argentina 

Lado A: 01. Muchacha (Ojos de papel) / 02. Color humano / 03. Figuración / 04. Ana no duerme

Lado B: 01. Fermin / 02. Plegaria para un niño dormido / 03. A estos hombres tristes / 04. Que el viento borro tus manos / 05. Laura va

Resenha + vídeos: ALMENDRA – ALMENDRA (1969)

Anúncios

ALMENDRA – ALMENDRA (1969)

Março 22, 2008

    Mantendo a vibe hermana, um grupo altamente recomendado é o Almendra, pioneiro na cena roqueira argentina ao lado de Los Gatos e Manal. Formado em 1967, possuía no seu line-up dois dos maiores guitarristas argentinos de todos os tempos: Luis Alberto Spinetta e Edelmiro Molinari. A cozinha muito bem guarnecida, ficava a cargo de Emilio Del Guercio (baixo) e Rodolfo García (bateria).

    Gravaram dois álbuns homônimos muito bons em 1969 e 1970 e depois a banda se desfez. Emilio e Rodolfo fundaram o Aquelarre, Spinetta criou o lendário Pescado Rabioso e Edelmiro Molinari – depois de formar vários trios – acertou a mão no Color Humano, mandando ver no mais puro hard rock. No final dos anos 70 o Almendra voltou para realizar alguns shows e nesse revival gravaram mais 3 discos: Almendra en Obras I, El Valle Interior e Almendra en Obras II, todos de 1980.

    Agora mesmo estou escutando o primeiro álbum de 1969, dominado por temas introspectivos e reflexivos, num misto de tristeza e esperança… emocionante é pouco. Tanto as poesias de autoria de Spinetta (ele assina 7 das 9 faixas do disco), quanto as melodias e os arranjos instrumentais e vocais deflagrados pelo quarteto argentino, são de uma beleza ímpar e só contribuem para torná-lo um dos melhores discos de rock portenho de todos os tempos. 

    Para acompanhá-los nessa empreitada, foram chamados músicos que simplesmente debulham na condução de seus instrumentos: Santiago Giacobbe (órgão), Alicia Varadi (harpa), Bernardo Stalman (violino), Simon Zlotnik (viola), Carlos Pompeyo (flauta), José Bragato (violoncelo), Walter Cironi (fagote), Gustavo Bergalli (trompete), Alberto Misrahi (clarinete), MarioTenreyro (corno, um instrumento da família do oboé), Rodolfo Mederos (bandoneón), Tito Mariano (percussão) e o escambau. Tudo tocado com muita técnica e sentimento, criando uma atmosfera pra lá de comovente.

    Clássicos como “Muchacha (Ojos De Papel)”, “Plegaria para un niño dormido”, “Color Humano” e “Ana no duerme” fizeram a cabeça dos hermanos, criando uma absoluta identificação do público com a banda. O reflexo disso é que dois meses após seu lançamento, o disco já havia vendido mais de 20 mil cópias na Argentina.

    Quando escutei o play pela primeira vez, confesso que também fui pego de jeito. Entre tantas maravilhas, o destaque fica por conta da música “Fermin” com uma das letras e melodias mais belas que já ouvi no rock portenho, onde um tema triste narra a história de um pobre louco em busca da felicidade… 

    Pegando carona na capa desenhada por Spinetta, diria só uma coisa: dá pra chegar as lágrimas. Imperdível!

Faixas: 01. Muchacha (Ojos de Papel) / 02. Color Humano / 03. Figuración / 04. Ana no duerme / 05. Fermín / 06. Plegaria para un niño dormido / 07. A estos hombres tristes / 08. Que el viento borró tus manos / 09. Laura va

Sinister Vinyl Collection: ALMENDRA – ALMENDRA (1969)

ALMENDRA – MUCHACHA (OJOS DE PAPEL)

LUIS ALBERTO SPINETTA – MUCHACHA (OJOS DE PAPEL)

ALMENDRA – COLOR HUMANO

ALMENDRA – COLOR HUMANO

ALMENDRA – FIGURACIÓN

LUIS ALBERTO SPINETTA – ANA NO DUERME

ALMENDRA – FERMIN

ALMENDRA – FERMIN

ALMENDRA – PLEGARIA PARA UN NIÑO DORMIDO

ALMENDRA – A ESTOS HOMBRES TRISTES

LUIS ALBERTO SPINETTA – A ESTOS HOMBRES TRISTES

ALMENDRA – QUE EL VIENTO BORRÓ TUS MANOS

ALMENDRA – LAURA VA

LUIS ALBERTO SPINETTA – LAURA VA